Enfermeiro: o que faz, remuneração e carreira

COMPARTILHE!
Enfermeiro: o que faz, remuneração e carreira



O que veremos neste artigo

Você sabe o que faz um enfermeiro? O que o diferencia de outros profissionais com atuação semelhante na área de saúde? Descubra mais aqui.

Você sabe o que faz um enfermeiro? O que o diferencia de outros profissionais com atuação semelhante na área de saúde? Descubra mais informações sobre essa carreira e a sua remuneração média no Brasil neste artigo!

O que faz um enfermeiro?

Esse profissional desempenha um papel fundamental na saúde porque é um dos membros essenciais de qualquer equipe de cuidados básicos ou intensivos.

Assim, o enfermeiro combina conhecimentos científicos, habilidades técnicas e boas doses de empatia, de modo a oferecer suporte integral ou temporário a pacientes, promoção de cura e colaboração para o bem estar dos indivíduos que estão sob seus cuidados. 

Podemos definir que a principal função de um enfermeiro é fornecer cuidados e assistência aos seus pacientes, de modo a auxiliar em sua recuperação. Ele pode atuar também na promoção da saúde e em práticas de prevenção de doenças. 

No Brasil, por exemplo, esses profissionais são muito importantes em estratégias de promoção da saúde pública, como campanhas de vacinação, programas de educação comunitária, acompanhamento de saúde de pacientes e na transmissão de conhecimentos que melhorem a qualidade de vida da população em geral. 

Assim, o enfermeiro combina conhecimentos científicos, habilidades técnicas e boas doses de empatia, de modo a oferecer suporte integral ou temporário a pacientes, promoção de cura e colaboração para o bem estar dos indivíduos que estão sob seus cuidados. 

Quais são as principais responsabilidades e atribuições de um enfermeiro? 

O trabalho do enfermeiro costuma ser bastante dinâmico e abrangente e a sua rotina vai variar muito, de acordo com as necessidades dos seus pacientes e do ambiente no qual atua.

No entanto, é possível destacar algumas atribuições e responsabilidades que costumam ser comuns a todos os enfermeiros, sobretudo aqueles que trabalham diretamente com a prestação de cuidados de saúde a indivíduos e comunidades. 

Uma das tarefas rotineiras dos enfermeiros é se comunicar com a equipe de saúde responsável pelos pacientes, para organizar seu horário e suas prioridades de acordo com os prontuários dos pacientes.

Os enfermeiros podem trabalhar em turnos de trabalho, seja durante o dia ou à noite ou em regime de plantão. Pode ocorrer também dele trabalhar em turnos e realizar plantões de forma eventual. 

A avaliação dos pacientes é uma das responsabilidades principais na rotina de um enfermeiro e ela envolve diferentes tipos de tarefas, como realizar entrevista, coletar informações sobre o histórico de saúde, verificar sintomas e realizar exames físicos.

É a partir da análise final da avaliação de cada paciente que o enfermeiro pode desenvolver um plano de cuidados que seja individualizado. 

Outra atribuição bastante recorrente em sua rotina é a administração de medicamentos. Por isso, os enfermeiros devem ter familiaridade com diferentes tipos de medicação, ter ciência das suas vias de administração e de quantas doses administrar.

É importante também que os efeitos dos medicamentos sejam constantemente monitorados, para evitar possíveis reações adversas. 

A realização de procedimentos médicos, como curativos, coleta de amostras para exames de laboratório, administração de terapias e inserção de cateteres intravenosos para administração de medicamentos são outras responsabilidades comuns aos enfermeiros. 

Habilidades emocionais e de comunicação

Para além dos cuidados diretos com os pacientes, é fundamental que os enfermeiros tenham boas habilidades de comunicação para ter uma troca eficiente com os outros profissionais que integram a equipe de saúde.

A colaboração com outros profissionais, como médicos, terapeutas, fisioterapeutas e auxiliares de enfermagem é recorrente. Assim, na realização de reuniões e trocas de informações todos possam contribuir com suas observações e conhecimentos. 

Uma habilidade que costuma ser um diferencial para um enfermeiro é possuir inteligência emocional porque muitas vezes será necessário oferecer suporte emocional aos pacientes e também aos seus familiares.

A oferta de conforto através da empatia e a construção de um relacionamento de confiança podem ser cruciais no tratamento dos pacientes, para ajudá-los a lidar com o estresse, ansiedade e outros sentimentos associados ao tratamento médico contínuo. 

Como se tornar um enfermeiro?

É preciso terminar o Ensino Médio e se matricular em um curso de nível superior de Enfermagem para se tornar um enfermeiro. A duração da graduação é de cinco anos em média e é essencial que o curso seja reconhecido pelo MEC para que o enfermeiro possa ter a sua habilitação de registro profissional validada. 

A formação acadêmica de Enfermagem abrange diferentes conhecimentos teóricos e práticos da área de Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências da Enfermagem e Ciências Humanas e Sociais. 

Onde um enfermeiro pode atuar ao longo de sua carreira?

Apesar de o senso comum ter nos hospitais e centros médicos o local de trabalho por excelência dos enfermeiros, eles podem trabalhar em uma variedade de locais. 

Obviamente, os hospitais são um deles, e a sua atuação ocorre em diferentes contextos, como obstetrícia, pediatria, enfermarias cirúrgicas, unidades de terapia intensiva, centros de emergência e SAMUs. 

As clínicas de atendimento geral ou especializadas e os consultórios médicos também costumam contar com enfermeiros em sua equipe de saúde para que eles ofereçam suporte aos médicos e orientações aos pacientes. 

Locais como clínicas de reabilitação, clínicas de saúde mental, centros de assistência de idosos e centros de saúde comunitária também empregam profissionais de enfermagem.

Outra possibilidade de atuação é no ramo de atendimento particulares, no segmento de homecare. Essa é uma área que abrange os pacientes que necessitam de tratamentos contínuos em domicílio, sem interrupção de rotina. 

Finalmente, o enfermeiro que se interessa pela área de pesquisa científica pode desenvolver carreira no setor acadêmico. 

A realização de mestrado e doutorado facilita o ingresso em projetos de pesquisa e investigação científica em temas relevantes de sua área. Posteriormente, os profissionais que se enquadram neste segmento podem se tornar professores universitários. 

Qual é a remuneração média de um enfermeiro no Brasil?

Atualmente, a faixa salarial de um enfermeiro no Brasil fica em torno de R$ 3.600,00, o que é próximo da média paga pelo piso salarial da profissão em 2023, que é de R$ 3.840,00;

O teto salarial fica em torno de R$ 7.300,00 a R$ 9.000,00, a depender do tempo de experiência, regime de trabalho e instituição ao qual está vinculado.

Recentemente, uma possibilidade de carreira que tem atraído muitos enfermeiros, sobretudo os recém formados, é o recrutamento para trabalhar em países fora do Brasil, como a Alemanha. 

Um dos incentivos é o fato da remuneração oferecida ser bem maior do que o piso salarial oferecido em nosso país. 

Há essa demanda porque na maioria dos países desenvolvidos cada vez menos jovens se especializam na profissão. Assim, esta é uma possibilidade interessante para quem fala outros idiomas ou tem interesse em morar fora do Brasil. 



Vagas na área da saúde


Sobre o autor

Gisele Mendes - Marketing - Divulga Vagas
Gisele Mendes

Marketing - Divulga Vagas
 www.divulgavagas.com.br




Scroll to Top

PUBLICIDADE