O mundo está mudando de forma acelerada e consequentemente, escolher uma profissão torna-se, às vezes, um desafio. E aí, como escolher a profissão certa em um cenário tão dinâmico? Para ajudar existe a orientação vocacional, que tem como foco auxiliar você a tomar a melhor decisão.

Ao contrário do que muitos pensam, a orientação vocacional não é responsável por dizer exatamente qual curso você deve escolher ao entrar na faculdade. Embora esse processo seja um ótimo começo para aqueles que ainda estão indecisos, a orientação vocacional funciona como um instrumento para indicar quais áreas mais se encaixam com o seu perfil e personalidade.

Vivemos em um período da história cada vez mais tecnológico e rápido, portanto, novas profissões surgem e se reinventam a todo instante. Nesses casos, ao pensar em qual carreira seguir, é muito importante levar em consideração as tendências do mercado.

Diante desse cenário, pode ser difícil escolher qual curso estudar. Afinal, com tantas possibilidades que vão desde as profissões mais tradicionais às mais inovadoras, como saber qual é a carreira certa para mim!?

Como funciona a orientação vocacional?

Em primeiro lugar, tenha em mente que esse processo de orientação não se trata de uma fórmula mágica capaz de resolver todos os seus dilemas. No entanto, tenha em mente que esse recurso pode te ajudar a ter um norte mais claro com relação a qual profissão escolher.

Por meio de entrevistas e testes vocacionais, bem como outras ferramentas, os profissionais da área podem orientar você a escolher o curso que mais combina com seus gostos e objetivos profissionais. Para isso, é levado em consideração o atual contexto mundial e suas preferências pessoais.

Portanto, a orientação vocacional tem como objetivo ser um apoio ao estudante na hora de tomar a decisão sobre a futura carreira. Vale lembrar que, de maneira geral, o processo de escolha ocorre em cinco etapas. Sendo assim, as ferramentas de orientação vocacional contribuem para tornar esses pontos mais claros e assertivos.

Longe de ser uma fórmula mágica, a orientação vocacional funciona como um instrumento de avaliação que auxilia o estudante no processo de decisões.

Recursos para uma boa orientação vocacional

Ao pensar na sua profissão considere todos os aspectos da sua vida, sejam eles emocionaispolíticos sociais. E mesmo que determinado curso seja uma tendência do momento, ou que você esteja mais propenso a seguir a profissão da família, não se feche a outras opções. Isso porque, o seu caminho para o sucesso estabilidade, pode ser outro.

Em suma, esteja sempre aberto às possibilidades que possam surgir ao longo do caminho, além de ter muito bem definido quais são seus gostos interesses. Esse processo de conhecimento pessoal facilita suas decisões, uma vez que você sabe quais assuntostemas trabalho te deixaria mais contente, por exemplo.

Avalie também, antes de decidir seu curso, a instituição, considerando a grade curricular e os espaços para a prática profissional. Com isso em mente, escolha uma faculdade capaz de contribuir para seu crescimento e aperfeiçoamento físicomental emocional. Essas peculiaridades fazem toda a diferença na sua formação profissional.

Embora a orientação vocacional não apresente todas as respostas, suas ferramentas são ótimas para dar uma noção maior da realidade do mercado. Esses instrumentos não possuem caráter decisivo e único, porém, são recursos que mostram vias alternativas e possíveis, de acordo com suas aptidões e familiaridades.

Teste vocacional

Talvez esse seja o recurso de orientação vocacional mais conhecido e até mesmo utilizado por todos. Entretanto, esses testes não devem ser vistos como via de regra e seus resultados não podem possuir caráter decisivo. Em outras palavras, os testes vocacionais funcionam como um auxílio na hora da orientação

Por meio de perguntas envolvendo aspectos físicos emocionais, o teste vocacional pretende indicar a você qual carreira mais combina com suas habilidades preferênciasO teste vocacional do Unasp, por exemplo, é gratuito e conta com uma série de orientações personalizadas. Ao conversar com o consultor e especialista em carreiras de sucesso, Edu, você terá uma noção maior de qual caminho escolher, além de conhecer mais sobre seus gostos pessoais, aptidões e interesses profissionais.

Plano de carreira

Outro recurso muito utilizado em orientações vocacionais, é a construção de um plano de carreira. Diferente da profissão, a carreira é o acúmulo de cargos experiências profissionais que você vai adquirir ao longo dos anos. Desse modo, montar um plano de carreira antes de ingressar no Ensino Superior, é de extrema importância para se ter uma boa orientação vocacional.

Além de clarear os seus objetivos pessoais e profissionais, um plano de carreira bem elaborado, funciona como um incentivo para que você alcance suas metas e conheça mais sobre você mesmo. Esse processo contribui para que você saiba exatamente onde pretende chegar e quais caminhos você deve traçar para alcançá-lo. 

Sendo assim, um plano de carreira consiste em você definir onde quer estar; trabalhando com o quê; e em qual área e empresa. Essa etapa deve ser realizada de modo claro e assertivo, respondendo à perguntas específicas.

série especial, Profissão Estudante, produzida pelo Unasp campus Engenheiro Coelho, separou um conjunto de dicas que vão te ajudar a tomar uma decisão mais sábia e consistente sobre o curso a ser escolhido. No primeiro episódio, o professor especialista em Recursos Humanos, Eduardo Lopes, explica a importância do plano de carreira e como construí-lo da melhor maneira possível.

Converse com profissionais

A orientação vocacional, também conhecida como orientação profissional, reúne profissionais das áreas de aconselhamentopsicologiarecursos humanos e até mesmo coaching. Esses profissionais são responsáveis por orientar você em relação a qual profissão seguir. 

Por meio de conversas, entrevistas e outras ferramentas, você será orientado de modo mais pessoal e personalizado às suas necessidades e realidade. Essa vantagem contribui para que sua orientação vocacional seja mais objetiva e direcionada especialmente a você.

Os profissionais capacitados para esse trabalho, são responsáveis por identificar seus pontos fortes fracos, bem como suas habilidades e propensões acadêmicas e profissionais. Com esse ponto de vista focado em você e naquilo em que deseja ser, escolher uma carreira se torna algo menos complexo.

Construa o seu próprio caminho

Felizmente ou infelizmente, temos que escolher nossa profissão muito cedo, e por consequência, muitas vezes não estamos maduros o suficiente para tomar tamanha decisão. Entretanto, esse momento não precisa ser algo assombroso. Ao escolher seu curso e planejar sua carreira, lembre-se que isso é um processo para a vida, portanto, escolha um caminho que te traga felicidade alegrias.

Sendo assim, leve em consideração suas afinidadesgostos e valores pessoais. É claro que o salário ao final do mês é muito importante, afinal, os boletos sempre chegam! Porém, sua satisfação pessoal e sua paixão ao viver determinada rotina, devem ser sua força motriz para conseguir alcançar seus sonhos anseios profissionais.

 

FONTE: https://www.unasp.br/blog/orientacao-vocacional/