Em muitas circunstâncias, a competição pode ser uma coisa boa. Isso nos leva a desenvolver força e resiliência, potencializar nossas habilidades e a cavar fundo para a melhor versão de nós mesmos. A competição saudável requer crescimento –e uma mentalidade construtiva é crucial para o sucesso pessoal e profissional de longo prazo.

Assim, mesmo o candidato a emprego mais capaz pode se sentir intimidado pela natureza competitiva do mercado de trabalho atual. Estatísticas recentes refletem os milhões de empregos nos EUA perdidos em 2020 devido ao novo coronavírus e revelam um número impressionante de candidatos a emprego: pessoas qualificadas e capazes que foram dispensadas devido aos fechamentos em vários setores importantes.

Estudos também revelam que uma vaga de emprego corporativo atrai em média 250 currículos, sendo que apenas 2% dos que se candidatam serão entrevistados. Se você é um dos poucos escolhidos, é fundamental entender como advogar a seu favor.

Em um mundo onde todos –incluindo seu possível empregador– deixam uma pegada digital, não há desculpa para ir para uma entrevista despreparado. Mesmo que a descrição do cargo soe como algo que você poderia fazer de olhos fechados, vale a pena lembrar que as diferentes dinâmicas das empresas significam que cada posição oferece novos desafios.

Comece fazendo sua lição de casa. Revise o site da empresa e observe como eles se representam. Leia sobre a missão deles e se familiarize com sua imagem pública por meio de suas contas de marketing e mídia social. Se tiver a oportunidade, fale com alguém que trabalha lá. Lembre-se de que um empregador responsável está fazendo exatamente o mesmo dever de casa com você.

 

Depois de formar uma imagem de como a empresa funciona, você pode considerar como alinhar sua experiência para atender às necessidades e espelhar a cultura.

Pratique quantas vezes forem necessárias

 

Uma das coisas que tornam uma entrevista algo tão difícil é entender como encontrar o equilíbrio certo ao discutir sua experiência e habilidades. Se for muito intenso, você corre o risco de soar como um egocêntrico. Segure-se, e você apresentará falta de confiança.

Independentemente da posição, no entanto, os entrevistadores costumam fazer alguma versão da pergunta “fale sobre você”. Essa abertura representa uma oportunidade de ouro, caso você consiga superar o desconforto que a maioria sente ao falar sobre si mesmo. A própria natureza dessa questão permite que você ofereça uma resposta assertiva e focada.

 

Você pode ser proativo ao descobrir o que deseja transmitir sobre suas capacidades profissionais antes da entrevista. Escreva os pontos-chave e pratique verbalizá-los na frente de um espelho até que suas falas pareçam naturais. No início, pode parecer bobo e forçado, mas entender como você deseja que a conversa flua o salvará de ficar com a língua presa em um momento crítico. Para começar, considere estes tópicos principais: sua formação, áreas de especialização, habilidades interpessoais e realizações profissionais mais significativas.

Ainda está tendo dificuldades com a ideia de autopromoção? Um truque mental para contornar a ideia de se autossabotar é sair da equação. Finja que está do lado de fora, olhando para dentro e considere objetivamente suas qualidades e realizações. Eles são o que o diferencia de todos os outros.

 

Dicas para a entrevista

Se você foi chamado para a entrevista, o empregador provavelmente já examinou suas habilidades e experiência e pensa que você é um candidato em potencial para o trabalho. A partir daí, o que importa é a forma como você se apresenta. Veja a seguir cinco dicas para se sair bem:

Preste atenção à sua aparência

Tom, linguagem corporal e postura são mais instrumentais para transmitir competência e profissionalismo do que a maioria das pessoas imagina. Falar muito alto ou baixo; ou usar gestos animados ou amplos transborda ansiedade e insegurança. Ao discutir suas realizações, sente-se ereto, controle suas mãos e adote um tom prático e moderado.

Demonstre habilidades sociais

Leia a sala. Um bom entrevistador definirá os caminhos da conversa e do seu interesse para trabalhar dentro desses parâmetros. Esteja ciente do quanto você está falando e ouvindo. Soft skills são muito importantes.

Dê os devidos créditos

Relate seus maiores sucessos mencionando como eles foram possíveis aos esforços de outras pessoas. Isso demonstra a vontade de trabalhar como parte de uma equipe para atingir um objetivo comum e a confiança para reconhecer que as realizações geralmente são a soma de suas partes.

Envolva seus contatos

Se você tem um ex-colega de trabalho ou chefe que possa atestar suas habilidades, é perfeitamente aceitável mencionar que ele seria uma ótima pessoa para conversar sobre aspectos específicos do seu trabalho. Um endosso objetivo tem peso extra.

Mantenha-se sucinto e calmo

A natureza de perguntas e respostas de uma entrevista é o momento no qual você verá que valeu a pena ter revisado e ensaiado suas falas. Respostas preparadas permitem que você seja sucinto e evite raciocínios desconexos. (Continuar falando sem fornecer novas informações é contraproducente; sugere que ou você não entendeu o que foi perguntado ou costuma exagerar e falar mais do que necessário.)

O objetivo de qualquer entrevista é trazer o foco para seus talentos, capacidades e histórico. Os entrevistadores não estão procurando um motivo para desqualificá-lo da consideração —eles querem contratar e o objetivo final deles é preencher a vaga com o candidato mais qualificado. Não hesite em comunicar o porquê você é a melhor escolha.

FONTE: https://forbes.com.br/carreira/2021/01/entrevista-com-confianca-como-deixar-o-ego-de-lado/